Escrito por: Redação GF+ | Data de Publicação: sábado, 15 novembro, 2014

A voz do leitor

Em todas as nossas reuniões de pauta, sempre levamos em consideração o desejo do leitor. O que ele quer ler, o que deseja saber sobre o mercado, etc.

Neste mês fomos surpreendidas por leitores nas redes sociais, e também através de nossos emails, cobrando da mídia a cobertura de um caso que envolvia uma empresa renomada em nosso mercado, e um empresário do Recife.

Estávamos acompanhando o desenrolar do caso pelo facebook, até que os membros envolvidos na conversa pediram à GF para interferir como mídia. Não podíamos deixar de dar voz ao nosso leitor.

Conversamos com ambas as partes, e aqui você vai acompanhar o desenrolar desta história que já está em processo na justiça.

O CASO

Samuel Buarque, Diretor da Adtec de Recife-PE, postou no dia 03 de abril em seu facebook, uma reclamação contra a empresa Danfex, onde segundo ele, já fazia 10 meses que havia adquirido uma impressora Anajet Mpower 10 no valor de 50.000U$, e até o momento ainda não havia recebido o equipamento funcionando. Segundo ele, foi entregue para sua empresa um equipamento usado que não funcionava como deveria.  “Após várias tentativas de solucionar os problemas nos foi prometido a troca do mesmo, e conforme o combinado fizemos a sua devolução em novembro de 2013 com a promessa que outro equipamento novo estaria disponível e entregue em 45 dias. 30 dia após a sua entrega, eles vieram alegar que o equipamento que enviamos foi faltando peças e totalmente danificado, ainda questionei porque não acionaram o seguro e a resposta foi que não conferiram na entrega e agora não tem como reclamar. Nos enviaram um equipamento de showroom usado, com uma capacidade 4 vezes inferior para tentar nos enganar e exigiram sua devolução em 30 dias caso contrário teríamos que arcar com a multa. Após o prazo ainda oferecemos a opção de venderem o equipamento para outra empresa, e também nada foi feito e até o momento a empresa não cumpriu com o combinado, toda vez inventa uma novidade e não se consegue falar com os responsáveis”, afirma Samuel.

REDES SOCIAIS

Como tudo ganha mais força na internet, principalmente nas redes sociais, em poucos dias, muitos comentários foram feitos nas postagens, grupos de apoio no facebook foram criados, até um aplicativo buscando apoio foi criado, e muitos empresários do meio acompanham o caso e esperam pelo desfecho juntamente com Samuel.

Samuel nos informou porque recorreu às redes sociais “Faço questão de tornar esse caso público afim de evitar que tais praticas sejam adotadas em nosso mercado”

Alguns dias após a primeira postagem nas redes sociais, Samuel postou também fotos do equipamento usado e prints de emails trocados com a Danfex.

DANFEX

Após apurar os dados com Samuel, entramos em contato com a Danfex, onde conversamos com Heloisa Marcondes, diretora da empresa.

Heloisa pacientemente nos explicou o ocorrido, e disse que quem estava acompanhando todo o caso, eram seus advogados, mesmo assim, concordou em escrever um depoimento em nome da Danfex sobre o caso.

“A Danfex é uma empresa com 20 anos no mercado de Comunicação Visual. Somos justamente conhecidos por nossa excelente assistência técnica e suporte a clientes.

No caso do Sr. Samuel (Adtec), em momento algum deixamos de dar atendimento com relação aos problemas ocasionados pela máquina ou nos omitimos (em todas as chamadas demos retorno) – o próprio Sr. Samuel postou nossos e-mails de atendimento. Inclusive, diante da solicitação do Sr. Samuel, mandamos – sem custo algum – nossa máquina de show room juntamente com os insumos necessários – também sem custo – para auxiliá-lo  enquanto ele enviava para nosso escritório o seu equipamento para ser consertado.

O problema foi gerado porque a máquina foi adquirida via Cartão BNDES e os valores só poderiam ser devolvidos da mesma forma. Quando, por fim, foi resolvida pelo cliente a sua opção pela devolução dos valores, o mesmo queria que o dinheiro fosse devolvido em mãos, para continuar a pagar os juros de financiamento subsidiados pelo governo, forma esta totalmente divergente do procedimento estabelecido pelo Cartão BNDES.

No momento seguinte, o Sr. Samuel então mudou de ideia e solicitou que a máquina fosse trocada por outra (não queria que a mesma fosse consertada) e que todas as tratativas fossem através de sua advogada.

No meio dessa conversação, agora entre os dois advogados, se deu a reclamação do Sr Samuel nos meios de comunicação em questão; em momento que não havia nenhuma negativa por parte da Danfex em acolher os procedimentos por ele solicitados.

Aliás, foi ofertada a ele também uma recomposição de eventuais perdas e danos pelo tempo em que ficou sem o uso do equipamento, enquanto a nossa máquina reserva não chegou ao seu destino.

Com isso, a Danfex tem por resposta à reclamação, primeiro que o ambiente de uso do equipamento disponibilizado pelo cliente não atendia às especificações técnicas para utilização, as exigências do mesmo para a devolução dos valores de aquisição “em mãos” estava contrária à forma legal; bem como, mesmo diante desta situação contrária aos termos de garantia, nunca foi negado atendimento e as solicitações sempre foram atendidas em sua integralidade.

Estamos, portanto, ainda abertos à resolução amigável, mas, diante do caminho escolhido pelo cliente, a Danfex está dando sequência ao caso através dos meios legais correspondentes”, declarou Heloisa.

GF

Agradecemos ao Samuel Buarque por ter nos procurado, confiando credibilidade ao nosso trabalho. Agradecemos também Heloisa Marcondes da Danfex, que prontamente nos atendeu para dar continuidade à matéria.

Ficamos felizes em cumprir nosso papel como imprensa, e desejamos verdadeiramente que esta situação seja resolvida da melhor forma possível, para que ambos os lados não saiam no prejuízo.

Estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos através do email: faleconosco@grandesformatos.com

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *