Escrito por: Redação GF+ | Data de Publicação: quarta-feira, 4 abril, 2018

Houve crescimento na impressão digital no Brasil em 2017?

Por Luciana Andrade

O vínculo entre o homem e a máquina vai muito além do cenário de produção das empresas. Desde crianças, os meninos se deixam seduzir por brinquedos eletrônicos, produtivos, carros e chaves de fenda! Apesar das meninas também gostarem de brincar neste mundo, é própria do universo masculino esta paixão. Posso ver homens, executivos, com o mesmo brilho dos olhos de um menino de 8 anos ao ver uma máquina em uma feira, adoro observar este “deslumbre” que causa na mente destes grandes meninos! Acredito que este é um dos fatores que justifica a importância das visitações nas feiras, pois faz parte do cognitivo apreciar aquelas incríveis invenções que motivam o crescimento da indústria da comunicação visual quando se trata de impressão digital em grandes formatos!

Esta paixão é tão forte que eu mesma, 20 anos atrás, vendendo impressão, utilizava a logo da marca da melhor máquina da empresa em meu cartão de visitas! 20 anos depois, mesmo em um mundo dominado pela tecnologia e as revoluções que a internet trouxe para nossas vidas, pessoas de todos os cantos do mundo (principalmente homens!) se deslocam em países distantes para ver maquinas em feiras! O que poderia ser facilitado com a criação de lounges em estandes, que seria muito mais econômico, não teria a mesma funcionalidade. A frustação de não estar perto dela, somente assistindo em vídeos e vendo amostras de aplicações, seria, ao meu ver, um fator de resistência a compra, pois a sedução deixaria de existir! Por isto as feiras serão essenciais sempre, mesmo com todas as revoluções industriais e além disto, a nossa indústria da impressão tem vida longa! Mesmo se adaptando aos novos nichos, explorando as novas possibilidades, enfim: sempre nossos empresários acharão algo que justifique a opção da impressão! E que venham as novidades para transformar este mercado tão desafiador, tão forte no sentido da vertente que faz estimular o crescimento e hoje a impressão digital em grandes formatos, mesmo sem uma organização de classe alinhada, está num patamar industrial.

Brinquedos transformavam crianças e maquinas transformam empresas e pessoas!

Pesquisamos em todo Brasil como estão as empresas e parques de impressão mesmo com nosso cenário econômico não tão favorável! Li as pesquisas uma a uma, existe um ponto convergente em 90% das empresas que responderam: a certeza de ir em frente. Amamos este mercado, estes números nos estimulam a ir sempre adiante!

Números da impressão digital em grandes formatos no Brasil 2017

(Fonte: Revista GF)

Empresas no Brasil: 15.790

Empresas pesquisadas: 426

Mesmo no cenário turbulento de 2017 quase metade dos entrevistados compraram equipamentos para suas empresas! Isto prova que a crise no Brasil, apesar de ser dolorosa não foi um fator de impedimento para o crescimento do mercado de CV! Ainda que com todas as possibilidades que as novas tecnologias agregam as empresas as campeãs de vendas foram as maquinas solvente pelo baixo custo. Não é uma tendência única de crescimento que isola as demais, porém existe sim um mercado ainda muito representativo no país que utiliza a solução solvente. As soluções de corte, como routers e lasers tiveram grande aceitação, até para as empresas mostrarem novas possibilidades para seus clientes. UVs são equipamentos ainda de valor agregado e que muitos ainda não conseguiram no ano anterior, embora quem comprou – foram muitos, estão extremamente satisfeitos! As látex e os equipamentos de sublimação também tiveram um bom espaço de vendas.

Se comprou equipamento em 2017, qual?

Solvente – 48,5%

Router/laser – 24,2%

UV – 6,1%

Latex – 9,1%

Sublimação – 9,3%

Outras – 3,8%

2016 e 2017 foram anos de tensão, que ficarão por algum tempo na memória de muitas empresas. Muitas mudanças e reestruturações para sobreviver foram necessárias. Perguntamos aos nossos leitores se houve algum crescimento em sua empresa levando em conta o ano de 2016 para o final de 2017, esperávamos números ainda menores, mas, como podem ver, uma boa parte das empresas conseguiu alguma alta. Seja através de novas estratégias ou novos nichos. A CV ainda tem muito a crescer!

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *